terça-feira, 29 de setembro de 2015

Quioto - Como funcionam o metrô e os trens urbanos

Quioto é destino certo em qualquer viagem pelo Japão. A antiga capital japonesa inspira história e tradição, com uma proporção de templos por metro quadrado espetacular! Porém, o sistema de metrô da cidade é super restrito, com apenas 2 linhas, e as redes de trens urbanos podem ser bastante confusas e caras. Muitas das principais atrações da cidade não possuem uma estação de metrô / trem próxima, então se prepare para algumas caminhadas ou trajetos com ônibus (vou falar sobre isso em outro post). 

Estação Fushimi-Inari, na Keihan Line


  • Metrô: Possui 2 linhas que cortam horizontalmente e verticalmente o centro da cidade. O sistema de identificação da linha (letra combinada com número da estação) e sinalização das estações é muito com parecido com a de Tóquio, que expliquei no post anterior.
  • Japan Rail (JR): Assim como em todas as cidades que visitei no Japão, a JR utiliza os trilhos dos trens que ligam as cidades para fazer transporte dentro das cidades. A abrangência é relativamente boa em Quioto, o que pode ser bastante útil para quem adquirir o JR Pass, já que a utilização dos trens está inclusa no passe (dentro da validade).
  • Linhas privadas pertencentes a diferentes empresas: A principal deles é a Keihan, com 4 linhas. Além disso, tem a Eizan (2 linhas), Keifuku (2 linhas), Kintetsu (1 linha) e Hankyu (1 linha). 


Cada empresa opera suas próprias linhas e as conexões entre linhas de empresas diferentes, apesar de possíveis em algumas estações, não são práticas e podem sair bem caras. Em geral, requerem a compra de um novo ticket (a não ser que o valor completo do trajeto com a conexão já seja pago desde o começo). 


Parece complicado, e é!


Umas das primeiras coisas que fica óbvia no mapa é a dificuldade de conexões. Se reparar bem, são poucas as estações que apresentam ligações entre as linhas, mesmo quando passam bem próximas ou até mesmo se intersectam. Outro ponto que achei bastante curioso é que existem até algumas conexões que são possíveis mas não mostradas na mapa! Um exemplo que descobri por acaso são as estações Tanbabashi (Keihan Line) e Kintetsu Tanbabashi (Kintetsu Line), que não apresentam nenhuma ligação no mapa mas são fisicamente conectadas!

Como nossa hospedagem era na região de Uji, acabamos utilizando muito as linhas da Keihan para ir até a cidade e pontos turísticos. Vou então explicar um pouco como funcionam os trens nas linhas da Keihan, mas as outras operam num sistema similar, então também é válido. 

Mapa dos trens da Keihan Line em Quioto

Como disse anteriormente, a Keihan Line é composta de 4 linhas de trens, sendo a linha principal (Keihan Main Line) a que se encontra centralizada no mapa. O sistema opera com diferentes tipos de trem, identificados por cores, que servem para indicar em quais estações aquele trem para. Os tipos de trens com suas respectivas cores são:
  • Limited Express - Vermelho
  • Rapid Express - Roxo
  • Express - Laranja
  • Sub-Express - Azul
  • Semi-Express - Verde
  • Local - Preto
O Limited Express é bastante rápido pois para em poucas estações. O Local para em todas as estações da linha, o que pode ser bastante demorado. Os outros tipos são intermediários entre esses dois. 

Cada tipo de trem é representado no mapa por uma linha com sua respectiva cor. As estações que aquele trem para sem restrições são identificadas por um círculo cheio. Caso seja um círculo vazio, o trem para naquela estação mas com alguma restrição explicada acima. Estações sem círculos não são atendidas por aquele tpo de trem. 

A maneira mais simples de não se atrapalhar é identificar a estação em que está e quais trens servem aquela estação. Após isso, identificar quais desses trens servem a estação desejada e guardar as cores. Sempre que um trem chegar, reparar na cor das placas na frente e aos lados do trem. 

Trem do tipo Limited Express (Fonte: MediaTravaeller05)
Para identificar uma conexão entre as linhas, basta ver a estação com os círculos alinhados. Por exemplo, para ir da estação Mimurodo (Uji Line) para o centro de Quioto (meu trajeto diário), é preciso pegar a conexão para a Keihan Main Line na estação Chushojima.

Um ponto interessante é que, assim como no metrô, a linha é identificada por letras (KH) e as estação são numeradas. Porém, a numeração é contínua para todas as linhas do sistema! A Uji Line por exemplo começa na KH71 e vai até a KH77. 

Todas as estações possuem essas placas com o mapa, não se preocupe!
A melhor dica que posso dar com relação ao sistema de transporte de Quioto é: procure uma acomodação no centro, de preferência próxima da estação central! Ficar afastado, como eu fiquei, acaba saindo bem caro na quantidade que acaba se pagando pelos tickets de trem e metrô. A região central possui as seguintes vantagens:
  • Terminal de ônibus bem na frente da estação central, o que facilita o passeio para alguns pontos turísticos específicos;
  • Linhas da JR que partem da estação central são bem abrangente, ótimo para quem tiver o JR Pass;
  • Acesso ao metrô e aos trens é bem facilitado;
  • Como o ticket depende do número de estações andadas, estando localizado mais centralmente você economiza no preço.
Numa próxima viagem para Quioto vou com certeza buscar ficar numa região mais central!