sábado, 13 de agosto de 2016

Templos do Japão: Kiyomizu-dera

Resolvi começar uma sessão aqui no blog falando sobre os templos que visitei no Japão. É impressionante a quantidade deles nas cidades e, com certeza, muitos fazem e farão parte de qualquer viagem para o país. Para começar, resolvi falar sobre o que talvez tenha mais me impressionado pela beleza e grandiosidade: o Kiyomizu-dera, em Quioto. 

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Visão do salão principal do templo, com Quioto ao fundo

Imponente! Esse foi o adjetivo que me veio a mente quando vi essa plataforma em madeira projetada do salão principal sobre a lateral do morro aonde o templo se encontra. De lá é possível ter uma visão panorâmica da região, com a cidade de Quioto ao fundo. Todo o entorno é muito arborizado, inclusive com diversas cerejeiras, que fazem um espetáculo a parte durante a primavera (infelizmente quando cheguei já não estavam mais floridas). 



Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Agora sem eu na frente atrapalhando a visão!
O caminho até o templo por si só já é uma atração, já que a subida é feita através de uma ruazinha bastante movimentada, com diversas lojinhas de lembranças e iguarias gastronòmicas japonesas. Uma ótima oportunidade de experimentar algum doce feito de matcha (chá verde) ou até mesmo comprar um Yukata ("kimono de verão") para fazer suas visitas bem caracterizado. 

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Cuidado para não gastar todo o tempo da viagem no caminho!
Algo bastante impressionante, e que acaba se repetindo em quase todos os templos, é a idade deles. O Kiyomizu-dera foi fundado no ano de 778, originalmente afiliado ao secto budista "Hosso" e posteriormente se tornando um templo independente. Várias das construções atuais foram feitas no ano de 1633, com uma particularidade: nenhum prego foi utilizado em parte alguma do templo!

Logo na entrada encontramos o Nio-mon ("Portão dos Deuses Benevolentes"), um enorme portão aonde se encontram as estátuas dos 2 guardiões do templo e também de Buddha, Naraen Kongō (ou Agyo) e Misshaku Kongō (ou Ungyo). Os dois possuem uma representação bastante forte e assustadora e estão presentes na entrada da maioria dos principais templos budistas. 

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Vou deixar como surpresa a visão das estátuas atrás das grades!
Além disso, dentro do templo existem 2 pagodes (torre com múltiplas beiradas), um logo após a entrada e outro mais distante, constrúido no meio da mata. O primeiro é chamado de Sanju-no-To, possui 3 andares e uma bela coloração vermelha. 

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Minha modelo de Pagode!
O segundo é chamado de Koyasu-no-To, que significa "pagode do parto fácil" (tradução livre). A crença diz que caminhar até ele traz sorte e facilidade ao parto. O caminho até ele é feito de uma estradinha que vai beirando o morro e passa entre as árvores, com uma vista incrível de toda a região!

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Imagina essa visão durante a florada das cerejeiras?
No parte de baixo do templo se encontra a fonte Jishu, dedicada a divindade do amor e de formar casais, quase o cupido do Japão! Em frente a fonte se encontram 2 pedras separadas por uma distância de 18 metros: se você conseguir caminhar de uma até a outra com os olhos fechados, então seu desejo de amor será realizado! Sorte que já fui com minha esposa e não precisei fazer o desafio!

Templos do Japão: Kiyomizu-dera.
Encontrei meu amor com ajuda da fonte!
Com certeza o Kiyomizu-dera é um destino obrigatório em Quioto, mesmo que você tenha apenas alguns poucos dias na cidade, por toda sua beleza e história. Saiba porém que o templo costuma estar bem lotado, podendo ser até mesmo dificil ir de um salão ao outro ou tirar uma ótima foto devido ao número de pessoas passando. 

Para chegar ao templo, basta descer na estação "Kiyomizu-Gojo", na linha Keihan (veja post anterior sobre o sistema de trens de Quioto) e seguir a rua em frente até chegar na subida em direção em templo. A entrada custa 300 yens (preço em 2016).